Iscas à Portuguesa...Deliciosas e puro conforto !




 Vivo numa cidade maravilhosa e tenho a sorte de viver a 2 min. de carro do serviço. Logo tenho o privilégio de poder almoçar em casa...(ainda me lembro das 4h em transportes que gastava quando vivia em Lisboa e trabalhava em Caxias). Ufa! Tempos de azáfama, mas que um trabalho maravilhoso compensava. 
Embora com essa benesse, em que ganho um pouquinho de tempo para sentar no sofá no dolce fare niente, às vezes por questões de serviço, almoço mesmo no serviço. E sorte das sortes, a chef do catering é uma querida e de quando em vez dá-nos a provar uns pratinhos muito, muito bons que vai fazendo para além da ementa diária. E esta semana deu-me um prato de fígado que me fez sentir em casa, de prato de barro na mão, em puro momento de consolo. Obrigada minha querida Zélia Duarte. Tão bom!
Claro que fiquei com o fígado na retina, no palato, na memória. E ontem, aproveitando o feriado para adiantar umas compritas para a semana, lá veio o fígado para casa e tinha que fazer estas iscas à portuguesa. Não podia passar o dia sem elas de modo nenhum! E ai que boas que ficaram! 
Fizemos mesmo um daqueles jantares de prato na mão, sentados de sofá com tabuleiros, miúdos e graúdos, copos de água e sumo (de vez em quando sabe bem jantar em jeito de piquenique; a pequenada adora!). Bagunça num conforto enorme.
O fígado às vezes é mal interpretado injustamente, pois confecionado da forma certa...tão bom que é.
Espero que gostem desta sugestão tão portuguesa, tão nossa!


Ingredientes (6 a 8 pessoas):

Marinada
4 dentes de alho
1 cebola
1 folha de louro
Sal q.b.
Massa Malagueta q.b. (pode usar malagueta seca)
Salsa q.b.
Vinho branco (a cobrir a carne)
Água q.b.

1500g de fígado de porco (iscas)
150ml vinho branco
1 folha de louro
Massa malagueta a gosto
1 cebola
4 dentes de alho
60 ml azeite
2 c. sopa polpa de tomate
Sal q.b.
100g pepino, couve-flor e cenoura em vinagre (curtume)
1 ramo de salsa
2Kg de batatas p/fritar
óleo para fritar

Corte as iscas de fígado em tiras finas e pequenas, mais ou menos do tamanho de um polegar. Em seguida prepare a marinada colocando todos os ingredientes (utilize os alhos esmagados com pele) num recipiente. Adicione o fígado. Verifique que o sal está ajustado. Deixe marinar por 1h.
Enquanto o fígado descansa na marinada, descasque as batatas e corte em quadrados pequenos. Leve ao tacho em água fervente para as quebrar um pouco (não deixe cozer totalmente). Retire do tacho e deixe-as escorrer num escorredor.
Entretanto, pique a cebola, os alhos e coloque numa frigideira grande. Adicione o azeite, a folha de louro e deixe refogar. Verifique se é necessário ajustar o azeite. Junte entretanto as iscas cortadas e escorridas da marinada e deixe-as selar bem. Acrescente a polpa de tomate, a massa malagueta ou pimenta e o vinho branco. Deixe apurar. Verifique os temperos. E reserve.
Pique os envinagrados. Pique a salsa. Reserve.
Aqueça o óleo e frite as batatas. Escorra-as bem. 
Coloque as batatas numa travessa, adicione o fígado, a salsa e os envinagrados. Misture com a ajuda de uma espátula.
A seguir é deliciar-se!

Não fiz esta receita no robot, mas para quem quiser é fazer o refogado é utilizar o SlowCook P1 e para apurar o fígado com o tempero, SlowCook, P2. Deve usar o acessório misturador.














Comentários

  1. Acabei de jantar e estava pronto para comer todo esse tacho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Ficou mesmo uma delícia. Numa viagem à Terceira, levas um tacho para ti e família!

      Eliminar
  2. Adoro iscas. Não faço muitas vezes porque em casa não gostam. Iscas é aquela coisa que se ama ou se adora. As tuas tem um aspecto excelente. Parabéns!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Susana. Ficaram mesmo deliciosas. Foi um tal comer. Aqui em casa todos gostamos. Tenho sorte :) Beijinhos

      Eliminar
  3. Adoro está uma maravilha 😘

    ResponderEliminar
  4. Aspecto delicioso e tentador para experimentar!!
    Adorei, beijinhos.

    http://www.opecadomoraemcasa.eu/

    ResponderEliminar
  5. Ainda ontem comi iscas com batata frita! Uma versão mais simplória! Esta tua versão bem composta parece ser de comer e chorar por mais! Quando era miúda não apreciava muito iscas. Comia fígado nas sopas do Espírito Santo, ou então no molho de fígado (coisa que eu adoro), mas de resto não ligava muito. Agora tenho gostado! Acho que à medida que os anos vão passando me apetece cada vez mais comida tradicional! beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fica tão bom! Adoro!
      Também não gostava em miúdo, foi com os anos que passei a gostar tal como tu :)
      Beijinhos

      Eliminar

Enviar um comentário

Obrigada por visitar o blogue e pelo seu contributo. Volte sempre!

As mais vistas