Bolachas Donas Amélias...Recriando a doçaria conventual Terceirense!




E era uma vez umas queijadas Donas Amélias que se transformaram em Bolachas Donas Amélias ao bater das doze badaladas!
E na cozinha vivemos um conto de fadas! Transformamos, recriamos, reproduzimos, experimentamos e como fazemos magia, cada um a seu jeito. Desta vez foi a vez de fazer esta iguaria da doçaria conventual terceirense.
Conhecem as Queijadas D. Amélias? Quem as prova não lhes fica indiferente. Quem vem à Terceira tem que as provar, quem as encontra por outras paragens tem que as provar. É tradição, é sabor, é história deste nosso Portugal.

Estas queijadas datam de 1901, aquando da visita da Rainha D. Amélia e do Rei D. Carlos à Ilha Terceira.
Este doce, confeccionado em forma de queijada, advém de um outro bolo mais antigo, feito com especiarias. Os habitantes da ilha ofereceram as queijadas ao Rei e à Rainha como forma de agradecimento, atribuindo assim o nome da Rainha aos doces, como forma de homenagem.
Tradicionalmente devem ser batidas à mão, com colher de pau, e ir ao forno em forma de alumínio. São queijadas que fazem cheirar a Natal, com que se presenteia os ilustres das nossas vidas, os nossos. Mantêm-se bem, mesmo passadas algumas semanas.
Pois as queijadas viraram bolachas! E não umas bolachas quaisquer; viraram bolachas de Natal DELICIOSAS! 
Há muito tempo que me apetecia recriar o seu sabor. É um desafio maravilhoso tentar recriar sabores e doces tão emblemáticos.
Primeiro a prova em casa; avaliação: PERFEITO! Mas sabem que às vezes a vontade que sentimos de que um projeto seja um sucesso, poderá enganar os sentidos, então, segundo passo: dar a provar, não referindo os sabores e perguntar o que faz lembrar, a que sabe. Assim fiz! Resultado: "D. Amélia!"...Missão cumprida!
E às doze badaladas do dia 12 de Dezembro de 2017, as queijadas Donas Amélias viraram bolachas Donas Amélias!

Não deixem de experimentar. São perfeitas para o Natal!


Ingredientes:
300g farinha T55 s/fermento + farinha q.b. para trabalhar a massa 
170g manteiga amolecida
140g açúcar em pó + açúcar em pó q.b. para polvilhar
1 c. café noz moscada
2 c. café canela
3 c. café gengibre
2 c. sopa melaço de cana
1 ovo
2 mãos de passas

Glacé
300g açúcar em pó
1 clara
5 gotas de sumo de limão

Bolachas com efeito vidrado
Rebuçados

Na Cuisine Companion
Coloque os ingredientes na taça, exceto o ovo e as passas, com o acessório de amassar/triturar, programa Pastry P1 (pesquise tabela de conversão para outros robots de cozinha, sendo que na Bimby é vel. espiga e na Yammi vel. 4, ambas 3,5 minutos). 
Ao fim de 1 minuto do programa, faça pausa e adicione o ovo. Recomece o programa até ao final.
Retire a massa da taça (fica com uma consistência pastosa - ver abaixo nas imagens).
Numa superfície enfarinhada, trabalhe um pouco a massa, adicionando aos poucos alguma farinha, tornando-a mais moldável. Adicione as passas aos poucos e vá amassando para as incorporar. Faça uma bola, envolva em papel aderente e leve ao frigorífico por 30 minutos.
Em seguida, retire do frigorífico e estenda a massa com a ajuda de um rolo da massa até que obtenha uma espessura de cerca de 3mm, utilizando os moldes que preferir. Vai apanhar algumas passas nos recortes dos moldes. Para não desmanchar a forma, passe a ponta de uma faca afiada para cortar a passa.
Leve ao forno pré-aquecido a 200º num tabuleiro forrado com papel vegetal 12 min. bolachas grandes, 10 min. bolachas médias, 8 min. bolachas de dimensão muito pequena.
Atenção que sempre que faz bolachas, estas saem ainda moles do forno, endurecem ao arrefecer, se não fica com uma bolacha muito rija.
Deixe arrefecer e sirva polvilhadas de açúcar em pó. Ou em alternativa utilize o glacé. 
Para o glacé bata todos os ingredientes, com o acessório amassar/triturar, na vel. 6/7, 2 a 3 minutos.
Divida em porções e misture corantes em gel de diferentes cores em cada porção e deixe a imaginação voar! Para pequenos pormenores utilize a ajuda de um palito para dar apontamentos de cor, por exemplo, no glacé branco.
Para fazer uma árvore de natal de bolacha, faça bolachas com a mesma forma, mas em diferentes tamanhos. Depois una cada bolacha cobrindo-a com glacé, como se tratasse de neve a cair, coloque outra bolacha (faço duas do mesmo tamanho e passo ao tamanho seguinte). No topo coloque uma bolacha pequena.
Para as bolachas com centro vidrado, faça o molde, corte o centro com um molde mais pequeno. Quando levar ao forno, coloque, para uma bolacha média, meio rebuçado no centro. Para uma bolacha maior um pouco mais, mas não muito. O rebuçado irá derreter e fazer o efeito pretendido. Quando retirar do forno, só remova do tabuleiro quando o "vidro" tiver enrijecido. 
Poderá fazer um furinho nas bolachas antes de irem ao forno e atar-lhes uma fitinha depois de prontas.

Modo Tradicional
Proceda como descrito acima, amassando as bolachas com as mãos. Coloque a farinha numa superfície limpa, faça um buraco e adicione os restantes ingredientes, inclusive o ovo.
Utilize a batedeira para o glacé. 








 
















Comentários

  1. Qual Wonderland Lisboa qual quê! Ai as publicidades enganosas...! Vejo que afinal o Wonderland é aí na tua casa! Tudo lindíssimo! Acho excelente teres transformado as Queijadas Dona Amélia em bolachas! Será que as pastelarias por aí nunca se lembraram disso?! Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Levo a sugestão e já a partilhei no meu blog dos petiscos!!!bj

    ResponderEliminar
  3. Adoro D. Amélias. É pena não se venderem por cá. Estas bolachinhas ficaram lindas e, claro que só podem ser deliciosas.
    Bjn e votos de um feliz Natal
    Márcia

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Obrigada por visitar o blogue e pelo seu contributo. Volte sempre!

As mais vistas